#EmbaixadorasWonder : conheça aqui a história de vida de cada uma delas

Se você já nos segue nas nossas redes sociais, você viu que começamos a campanha #embaixadorawonder no instagram. Nós pedimos para que as Wonders compartilhassem suas histórias e fotos com looks Wonder com a #embaixadorawonder. E a cada trimestre vamos prestigiar nossas clientes, para que elas vejam que sim, elas tem o poder de serem catalizadoras de mudança na sociedade.

Lembrando que a #embaixadorawonder é uma mulher real, que respeita seu corpo e suas escolhas! Ela é a mulher que inspira outras mulheres a serem elas mesmas em sua mais profunda essência.

A #embaixadorawonder são todas as nossas clientes que se empoderaram e diariamente multiplicam isso para outras mulheres.

E, nesse trimestre, já temos as nossas primeiras #embaixadorawonder e vamos apresentá-las para vocês neste post. Pensando em uma forma de vocês poderem conhecê-las melhor, decidimos fazer uma entrevista com as #embaixadoraswonder. Temos certeza que vocês irão gostar, porque a gente amou conhecer um pouco mais de suas histórias e de que como a Wonder Size faz parte da vida delas.

Duda

A primeira que queremos apresentar a vocês e a Eduarda, ou Duda, já que somos íntimos. Ela é essa mulher incrível que tem muito a nos ensinar com sua história e caminhada. Já, já você vai poder ler toda a história dela, mas antes, segue ela pelo instagram @dudaconfetti. As fotos e stories dela são incríveis e por lá você encontra fotos como essa onde ela lindamente veste nossa Calça Legging Plus Size Joana Dark Emana Plus e nosso Top Plus Size Emana Plus.

Que Wonder, não é mesmo?

Agora vamos conhecer um pouco mais sobre ela:

Quem é você?

Sou uma mulher gorda de 26 anos. Nasci e cresci no interior de SP, em Barretos, e não me vejo saindo daqui por enquanto. Também é onde me casei com meu primeiro namorado e estamos juntos há 11 anos. Nós temos 2 filhos, o João Pedro de 8 anos e o Henrique de 4 anos.

Há 3 anos eu apenas me via como mãe. Eu havia esquecido meu lado mulher, por isso eu não me cuidava mais, nem ao menos sabia o que eu gostava de fazer. Então, resolvi mudar minha vida e me expor na internet para ter forças para me descobrir novamente e mostrar um pouco do que somos capazes. E somos capazes de tudo.

Hoje o que mais gosto de fazer é mostrar no meu instagram o meu dia e provar que mesmo gorda eu consigo fazer qualquer coisa que pessoas “padrões” fazem. Eu vou para academia de top, faço crossfit e sempre vou mostrar que podemos TUDO.

Qual sua relação com o esporte e para você qual a importância dos exercícios, de se movimentar?

Eu sou uma gorda que ama se movimentar. Eu faço crossfit e me supero todos os dias. Todas às vezes que treino me sinto viva, sinto que sim, eu posso fazer qualquer coisa.

Qual a sua relação com a Wonder Size? Quando e como você conheceu a marca e como a sua história se entrelaça com ela?

A minha relação com Wonder foi de amor à primeira vista.

Conheci a marca pela Ju Romano e mostrei para o meu marido. Eu namorei as roupas por meses, mas nunca tive coragem de comprar por sempre me frustrar com as numerações de outras marcas. Pois eu uso o tamanho 66 e nunca consegui comprar roupas que fossem realmente o número correto, então, não comprava.

Foi aí que meu marido me surpreendeu e me deu de presente de natal um conjunto da coleção da Ju Romano. Quando eu vesti e senti a liberdade em sentar e não aparecer a bunda, abaixar e não enrolar a roupa, de não marcar as 20.000 celulites que tenho, eu me apaixonei, e hoje é meu uniforme oficial.

Nesse momento eu voltei a me exercitar, já que antes não me sentia segura para fazer atividades físicas, pois, mesmo amando, eu não tinha roupas que me passavam confiança. Com as roupas comuns era um inferno! Eu andava na esteira e tinha que segurar a calça pois ela sempre caia. Hoje eu consigo me exercitar com qualidade, a calça não me atrapalha, segue firme o tempo todo e nunca nem chegou perto de ficar transparente. E olha que meu quadril tem 168 cm e, que pela tabela, o meu tamanho (XG) é para até 164 cm!

Além disso, os tops de alta sustentação são um show à parte. Meus peitos ficam quietinhos no lugar, não ficam mais pulando e quase acertando minha cara, é surreal!

O que ser #embaixadorawonder representa para você?

Ser #embaixadorawonder é levar no peito a marca que me fez mudar minha história, que me dá liberdade e segurança para fazer o que eu quiser.

Mesmo sabendo que eu podia fazer tudo, eu não tinha roupas adequadas e isso me deixava insegura, mas hoje, com a Wonder Size, eu consigo realmente fazer TUDO com LIBERDADE.

Ellen

Agora nós queremos te apresentar a Ellen. Ela é uma atleta incrível que fala sobre como é ser uma mulher negra, gorda e atleta. Além de compartilhar conosco maravilhosas inspirações e textos fortes e importantes. Não perca tempo e vá segui-la no instagram: @atleta_de_peso.

Antes da entrevista nós deixamos aqui para vocês essa foto da Ellen fazendo uma das coisas que ela mais ama!

Quem é você?

Sou mãe de 3, casada, tenho 38 anos e amo basquete. Jogo desde os 9 anos de idade, amo minha família e somos muito unidos. E sempre fui uma criança gorda e, depois, uma adulta gorda.

Eu sempre tive que lidar com a gordofobia e racismo por ser também uma mulher preta. O esporte me ajudou a me posicionar e enfrentar tudo isso. Joguei também futebol americano no Corinthians.

Sou fundadora do rachão basquete feminino, que é um coletivo que invade quadras públicos só com mulheres para jogar basquete e enfrentar o machismo no esporte. Tudo na minha vida tem relação com o basquete e atividade física.

Hoje me dedico a inclusão e motivação de pessoas gordas para atividade física pois todo corpo é capaz.

Qual sua relação com o esporte e qual a importância dos exercícios, de se movimentar, para você?

Como disse, tudo em minha vida tem relação com basquete. A atividade física faz bem para nosso bem-estar mental e físico, além de nos fortalecer nos posicionamentos do dia a dia. É preciso entender que todo corpo é capaz.

Qual a sua relação com a Wonder? Quando e como você conheceu a marca e como a sua história se entrelaça com ela?

Conheci a Wonder pela internet e quando comprei a primeira Legging e top senti a liberdade e confiança de jogar meu basquete sem me preocupar se a calça iria rasgar, se meu seio iria pular do top e isso me trouxe ainda mais confiança. Isso porque nunca tive isso com as roupas. Eu sempre colocava dois shorts, dois tops, pois, tinha medo de rasgar. Nunca tinha roupa de atividade física do meu tamanho e que me desse liberdade para desempenhar meus exercícios.

A palavra é liberdade.

O que ser #embaixadorawonder representa para você?

Representatividade, essa é a palavra. Eu digo q representatividade salva vidas, então, ser uma #embaixadorawonder é a oportunidade de mostrar para outras pessoas gordas que nós podemos fazer atividade física sim e nos vestirmos bem, com segurança e isso faz total diferença pra nós pessoas gordas que são invisibilidades pela sociedade.

Karine

A Karine é uma Wonder que no seu instagram, que você precisa seguir @pinkkarine pra ontem, mostra que nossos corpos não podem ser limitados. Afinal, olha ela mostrando que nosso corpo gordo consegue alongamentos incríveis, ainda mais quando vestimos roupas que nos dão liberdade para ir além, como são nossas Legging Plus Size Joana Dark Emana Plus Tule com Bolso e Top Plus Size Triplo Phelps Alta Sustentação Emana Plus com Zíper.

Quem é você?

Sou a Karine Cordeiro, tenho 35 anos, sou mãe e meu filhinho tem 1 aninho e sou empreendedora. Tenho uma empresa com meu marido de bolsas veganas e tenho um coletivo de artes circenses, além disso, organizo encontros de circo e apresentações na praça.

Sou apaixonada por cor, arte, artesanato. Gosto de reunir as pessoas, de viajar. Sou leonina e valorizo muito minha liberdade. Sou casada há 11 anos e estou sempre em atividade pensando em mil coisas. Também sou muito sincera, acredito muito em Deus e na força da espiritualidade na nossa vida.

Passei um momento difícil na minha vida em que tive depressão gestacional e depressão pós-parto. Essa situação me fez ver a vida com outros olhos. Fiz terapia e estou me redescobrindo como mulher e mãe. Sou alguém normal, tenho altos e baixos, mas não desisto nunca dos meus sonhos.

Qual sua relação com o esporte e qual a importância dos exercícios, de se movimentar, para você?

Sempre fui aquela criança gordinha que tinha vergonha de fazer atividades físicas. Mas sempre gostei muito de atividades ligadas a arte como circo e a dança. Achava bonito, mas achava que não era para mim.

Com 29 anos, resolvi entrar na aula de tecido acrobático sem nunca ter feito nada na vida. Ali me descobri. Amei. Fiz muitos amigos, me desafiava cada dia, aprendi muita coisa e aprendi a gostar de atividade física. Aprendi a nadar, fiz pilates, fiz balé… Vi que atividade física era para mim sim, era para quem quisesse. Era para o meu bem-estar, para desestressar, para fazer amigos, para eu aprender algo novo. Para minha saúde. Que eu tinha habilidades que nem imaginava, como a flexibilidade.

Qual a sua relação com a Wonder? Quando e como você conheceu a marca e como a sua história se entrelaça com ela?

Quando eu engravidei, eu engordei 30 kg, então, as roupas tamanho G que eu usava nas lojas “normais” não cabiam mais em mim. Como eu queria muito voltar a fazer atividade física com roupas confortáveis e bonitas, acabei descobrindo a Wonder Size. Mas não foi só isso. Descobri também um movimento, muitas mulheres iguais a mim, com a mesma história, me senti representada.

O que ser #embaixadorawonder representa para você?

Uma oportunidade de me descobrir, descobrir meu potencial, um desafio que eu topei. Quero ajudar mulheres a acharem suas identidades, a se descobrirem, se amarem, se aceitarem. Não somos mulheres com super autoestima o tempo todo. A gente se fere, se revolta, fica triste, e isso é normal. Um dia após o outro vamos caminhando sem desistir de nós mesmas e dos nossos sonhos.

Vanessa

A Vanessa é aquela Wonder que nos ensina a cada dia que, independente do que que aconteça, a caminhada para o amor-próprio deve ser trilhada. Na entrevista você vai conhecer um pouco mais dela, mas não ache que acaba por aqui, nas redes sociais ela conta da sua história, dá dicas e nos ajuda a ver a vida de uma forma diferente. Espero que você vá correndo seguir seu perfil no instagram, o  @vanvall3. Só pra você ficar com um gostinho das fotos dela, vê essa em que ela está usando nosso Shorts Saia Plus Size Esther Duplo Tela e nosso Top Plus Size Triplo Phelps Alta Sustentação Emana Plus Cruzado com Zíper WNDR

Quem é você?

Eu me chamo Vanessa, tenho 31 anos, moro no interior do Pará.
Eu sou uma mulher gorda, fora do padrão. Sou uma mulher deficiente e sou mãe solo.

A minha deficiência foi ocasionado por um acidente de moto que sofri saindo do trabalho em 2015. Eu dava aulas de inglês na época, fiquei afastada todos esses anos e agora, em 2020, eu tinha voltado a dar aula, também voltei a estudar, para faculdade.

Eu faço turismo pela federal do Pará. Eu fazia engenharia de produção na época do acidente e agora deu vontade de voltar a estudar, então, voltei para faculdade e estou fazendo turismo pela UFPA que é a federal aqui do Pará.

Qual sua relação com o esporte e qual a importância dos exercícios, de se movimentar, para você?

Desde criança eu sempre pratiquei exercícios, fazia natação, jazz, dança, tênis. Na vida adulta fazia caminhadas, mas nada muito “marombeira”, de academia e, após meu acidente, eu parei, sendo que fiquei um bom tempo sem fazer nada. Voltei a fazer o pilates e foi aí que eu comecei a perceber que eu poderia fazer tudo como qualquer outra pessoa normal.

Tem pouco tempo que eu voltei a me movimentar. Mesmo com a prótese voltei a fazer dança, voltei a fazer atividades como caminhada, bicicleta, e está sendo maravilhoso. A prática do exercício, de me movimentar está me fazendo bem psicologicamente, além do corpo, pois consigo enxergar que eu não tenho limitação nenhuma!

Está sendo maravilhoso eu me redescobri capaz de fazer um esporte, de fazer uma atividade física e ter a oportunidade de ter uma roupa que me permita fazer do mais básico, que são os alongamentos, até a fazer uma caminhada, uma bicicleta.

Enfim, está sendo maravilhoso poder voltar as atividades e a Wonder também ajudou nessa parte, a me sentir confortável com uma roupa. Afinal, sei que ela não vai rasgar e nem nada.

Qual a sua relação com a Wonder? Quando e como você conheceu a marca e como a sua história se entrelaça com ela?

Após o meu acidente, como disse na live, eu não estava me reconhecendo. Fiquei, “meu Deus, e agora?” Pois eu, uma mulher gorda e já sofria toda uma gordofobia, um bullying de infância, de escola, já que era uma criança gorda e também fui uma adolescente gorda. E em toda a minha vida inteira, fiz várias coisas sobre isso, já tomei remédio, fiz dieta maluca, remédios que me fizeram mal, e quando eu amputei a perna eu pensei “meu Deus, e agora, né?” Essa era mais uma barreira, mais uma dificuldade. “Eu vou entrar para mais uma minoria”” Já basta nós mulheres, tudo que a gente enfrenta.

Eu não me reconhecia mais, eu não me via mais. Por isso, após o meu acidente foi uma dupla aceitação que eu além de eu aceitar o meu corpo gordo, tinha que aceitar um novo corpo gordo “faltando uma parte”. “Meu Deus, eu estou sem um pedaço de mim, eu estou sem uma perna!” Então, foi um processo bem difícil de aceitação.

Inicialmente eu não me olhava no espelho, não olhava para baixo, não olhava para minha perna, não tinha coragem de olhar, não tinha coragem de tocar. Eu não tocava na perna. Para mim, foram difíceis os primeiros anos.

O meu acidente foi em 2015 e em 2019 eu tomei coragem de abrir a minha história para outras pessoas. Eu fiz um post que chegou a mais de 50 mil curtidas e mais de 30 mil comentários. Nele eu contava minha história, como foi meu acidente e tudo mais. Cheguei a ir até para São Paulo por causa da minha história. E eu nunca imaginei que a minha história poderia inspirar outras pessoas.

Em 2019 foi o ano que eu decidi me aceitar, fazer as pazes com meu corpo, meu corpo gordo, com meu corpo amputado. O meu corpo que as pessoas falavam que era feio, que era errado. A primeira vez que eu coloquei um cropped na vida foi em 2019. Eu decidi fazer as pazes comigo, com o meu cabelo, pois eu sempre alisei meu cabelo, então decidi passar por uma transição capilar.

Nesse tempo, eu sempre gostei de assistir Shark Tank e, assistindo os episódios antigos, eu assisti o da Wonder Size. Fiquei apaixonada. Fui pesquisar a marca no facebook e vi roupas. Eu fiquei impressionada quando eu vi que a numeração ia até o 66 e decidi testar.

Nesse meu percurso de amor próprio, de autoestima eu encontrei a Wonder Size e comprei uma roupa para testar, porque a gente gorda fica desconfiada, né? Cansei de comprar roupa Pluz Size número 58, ou número 60 e chegar na hora não sobe, não entra. Então, comprei para testar. Afinal, na minha cabeça, não era possível tudo isso que eles falavam ser verdade.

Comprei uma peça e foi amor à primeira vista. Desde então a Wonder Size faz parte da minha vida.

Eu uso peças para trabalhar, uso para ficar em casa, para fazer uma caminhada. Já cansei de ir à festa com short saia e com top. Uso para tudo! Faz parte da minha vida mesmo. Desde acordar com o pijama, da calcinha e do sutiã. Por esse motivo, em todos os âmbitos da minha vida a Wonder está presente.

A Wonder Size é a única marca Plus Size que eu já vi que são roupas reais, para mulheres reais, que cabem no meu corpo, que consegui botar a prótese, que consegui colocar na perna, que a bunda não ficou transparente.

A Wonder Size fez pare desse meu reconhecimento e veio como um abraço final, sabe? Um abraço gostoso, apertado e foi com a Wonder no final dissesse: “Minha filha, seja você!”.

É isso que a Wonder representa para mim.

O que ser #embaixadorawonder representa para você?

Eu chorei muito quando soube, porque eu não imaginava ser embaixadora de uma marca, ainda mais uma marca que eu amo e que, igual eu falei, faz parte da minha vida.

Sempre tive muitas peças, graças a Deus, todo mês dava para comprar uma peça ou duas. Então, ser embaixadora de uma marca que abraça mulheres reais, mulheres gordas, tem toda uma representatividade, e eu com a minha representatividade, com a minha minoria de mulher deficiente, poder fazer parte deste catálogo de mulheres lindas, eu fiquei emocionada. Muito lisonjeada. Eu estou muito feliz. Estou muito feliz porque eu não imaginava que eles iam me escolher.

Para mim, agora, é mais que um abraço mesmo, o que antes já fazia parte, agora, mais ainda. E aquela coisa “eu cheguei no ápice da minha vida”, porque agora eu posso represento a marca que eu amo, que fez com que eu me amasse, que fez com que eu perdesse o medo de usar regata, de usar um shorts. Por isso está sendo tudo. Está sendo a realização de um sonho.

Eu posso mostrar que nós gordas, nós mulheres deficientes somos capazes sim. Nós podemos ir para academia, podemos malhar, fazer qualquer coisa, trabalhar, sair e ter uma roupa que nos representa.

Eu estou muito feliz, estou muito lisonjeada. Eu não consigo achar palavras que expressem o meu sentimento de gratidão por essa marca, pois, como eu falei para a Amanda, a Wonder Size é sinônimo de autoestima e de amor próprio. Enfim, é isso que ela traz para mim e é isso que eu quero levar para outras mulheres.

Bem-Vindas

Nós da Wonder Size nós sentimos honrados em ter essas mulheres incríveis conosco e esperamos que vocês tenham gostado de conhecê-las um pouco mais. Fiquem ligados em nossas redes sociais, pois estamos tendo novidades a todos os momentos, lives e promoções. Então, não fique de fora.

Obrigada pela leitura, Wonder, compartilhe conosco o que você achou e não esqueça que estamos de olho em nossas marcações. Quem sabe você não aparece por aqui usando seu look Wonder? Ah, não se esqueça também de participar de nossas campanhas.

Lembrando que SOMOS TODAS WONDER!